novafrica@novasbe.pt

Membros Externos

Com uma diversidade de origens e de áreas de especialização, os membros externos NOVAFRICA são a rede de investigadores que não incorporam o quadro de docentes da Nova School of Business and Economics e que colaboram na implementação das atividades do NOVAFRICA.

Pedro Carneiro
Economia do Trabalho, Economia da Educação, Economia do Desenvolvimento, Acaliação de Impacto

Pedro Carneiro é professor de Economia na University College London e economista no Centro IFS para Métodos de Microdata e Prática (Cemmap). Seus interesses de investigação incluem a economia do desenvolvimento, economia do trabalho, economia da educação e Microeconometria. No passado, ele estudou questões como os retornos da educação, a política do capital humano, e a regulação do trabalho nos países em desenvolvimento. Tem estudado programas de pobreza e de educação em vários países da América Latina, África e Europa Oriental.

Adeline Delavande
Economia do Desenvolvimento, Saúde, Educação, Desenvolvimento da Primeira Infância

Adeline Delavande é uma professora de Economia no Instituto de Investigação Social e Econômico da Universidade de Essex, no Reino Unido. Sua especialização é sobre questões metodológicas relacionadas com o levantamento das expectativas probabilísticas em países desenvolvidos e em desenvolvimento, e sobre como as expectativas probabilística podem ser usados para melhorar a inferência sobre a tomada de decisões de indivíduos sob incerteza. Temas substantivos de interesse incluem contracepção, comportamento sexual arriscado em ambientes de alta prevalência de VIH, aposentadoria, educação e desenvolvimento da primeira infância. Ela esteve envolvida em muitos esforços de coleção de dados, nomeadamente em Malawi, Paquistão, Índia, Bangladesh, os EUA e o Reino Unido.

Marcel Fafchamps
Marcel Fafchamps
Economia do Desenvolvimento e Instituições do Mercado e as Redes Sociais

Marcel Fafchamps é um membro sénior do Instituto Freeman Spogli Institute for International Studies (FSI) e membro do Center on Democracy, Development and the Rule of Law. Fafchamps é professor (por cortesia) no Departamento de Economia da Universidade de Stanford. Antes de ingressar na FSI, entre 1999-2013, Fafchamps desempenhou funções como professor de economia do desenvolvimento no Departamento de Economia no Mansfield College da Universidade de Oxford. Foi vice-diretor e, em seguida, co-diretor do Centro para o Estudo das economias africanas. Sua pesquisa atual centra-se no empreendedorismo, mercados de factores, e na eficiência das redes sociais em África e no Sul da Ásia. Fafchamps também tem investigação em curso relacionada com as questões de economia política em África e na Ásia.

Ana Margarida Fernandes
Comércio Internacional, Consequências da IDE

Ana Margarida Fernandes é Economista Sénior da Unidade de Comércio e Integração Internacional do Grupo de Pesquisa em Desenvolvimento do Banco Mundial. Possui um B.A. da Universidade Nova de Lisboa, Portugal, e um mestrado e um doutorado em Economia pela Universidade de Yale. Entrou para o Banco Mundial em 2002. Os seus interesses de investigação incluem as consequências da abertura ao comércio e de IDE nos resultados empresariais, tais como a produtividade, a inovação e melhoria da qualidade nos sectores industriais e dos serviços e, mais amplamente, os determinantes do desempenho da empresa, incluindo o papel do ambiente de negócios. Também trabalhou em serviços profissionais em África. Recentemente, o seu trabalho tem vindo a debruçar-se, por um lado, sobre a avaliação de impacto de intervenções políticas relacionadas com o comércio (como a promoção das exportações e reformas aduaneiras) e, por outro lado, sobre o crescimento exportador e dinâmico, as suas relações com as políticas e para o desenvolvimento. Desde 2011 tem vindo a gerir o projeto do banco de dados sobre dinâmicas de exportadores. A sua investigação foi publicada no Review of Economics and Statistics, no Journal of International Economics, no Journal of Development Economics, no World Bank Economic Review, entre outras publicações académicas.

Dean Karlan
Dean Karlan
Economia do Desenvolvimento e Economia Comportamental

Dean Karlan é professor de Economia na Universidade de Yale. É presidente da Innovations for Poverty Action, uma organização sem fins lucrativos dedicada à descoberta e promoção de soluções eficazes para os problemas globais de pobreza. Karlan Integra do Comité Executivo do Conselho de Administração do MIT Jameel Poverty Action Lab. Como empreendedor social, ele é co-fundador do stickK.com, um site que usa lições da área da economia comportamental para ajudar as pessoas a alcançar objetivos pessoais, tal como perda de peso e parar de fumar, por meio de contratos de compromisso. Em 2011, Karlan foi co-autor de More Than Good Intentions: How a New Economics is Helping to Solve Global Poverty. Recebeu o Presidential Early Career Award for Scientists and Engineers, e foi nomeado membro do Alfred P. Sloan. A sua investigação concentra-se em questões microeconómicas de decisões financeiras, aplicando especificamente metodologias experimentais para examinar o que funciona, o que não, e porquê em intervenções de microfinanças, saúde, economia comportamental e doações. Em microfinanças, ele estudou o impacto do crédito, a política de taxa de juros, o desenvolvimento de produtos de poupança, as políticas de classificação de créditos, formação para o empreendedorismo, e a responsabilidade do grupo versus responsabilidade individual. Karlan tirou um Ph.D. em Economia no M.I.T., um M.B.A. e um M.P.P. na Universidade de Chicago, e um B.A. em Relações Internacionais da Universidade de Virgínia. Ele pode ser seguido no Twitter @deankarlan e escreve regularmente no blog ‘Freakonomics’

Pedro Silva Martins
Economia do Trabalho

Pedro Silva Martins é professor de Economia Aplicada na Queen Mary University of London e Research Fellow da CEG-IST (Lisboa) e IZA (Bonn). Doutorado em Economia pela Universidade de Warwick e Licenciado, também em Economia, pela Universidade Nova de Lisboa.
A sua pesquisa académica tem-se concentrado nos papéis da escolaridade, nos ciclos de negócios e da globalização sobre a distribuição de renda, e nos efeitos das instituições de emprego em trabalhadores e resultados de empresas diferentes. Os seus Interesses atuais incluem também medidas de activação, negociação colectiva e formação. Pedro Silva Martins foi Secretário de Estado do Emprego no Governo de Portugal entre 2011 e 2013. Durante este período, foi responsável por reformas em áreas como a legislação de proteção do emprego, as políticas activas do mercado de trabalho, o serviço de emprego público, estágios, o Fundo Social Europeu e diálogo tripartido. A sua investigação foi publicada no Journal of Labor Economics, American Economic Journal: Macroeconomics, European Economic Review, Journal of the European Economic Association, Labour Economics, Journal of Population Economics, British Journal of Industrial Relations, Economics Letters entre outros jornais e volumes.

Paulo Santos
Persistência da Pobreza, Dinâmicas de Pobreza, Redes Sociais

Paulo Santos é professor titular de Economia da Universidade de Monash. Seus interesses de pesquisa estão na intersecção de economia e sociologia, e também na economia e gestão dos recursos naturais – e no uso do introspecção destas áreas diferentes para entender porque a pobreza é persistente.
Mais de 70% das diferenças em renda ou a expectativa de vida em todo o mundo são devido a circunstâncias além do controle duma pessoa: o lugar onde nascemos ou a riqueza do nosso pai. Eu quero entender por que essas diferenças ainda persistem e que pode ser feito para mudar isso.
Como a maioria dos economistas, eu me preocupo com o funcionamento dos mercados. Estou particularmente interessado em compreender como os mercados são formados, como os agentes superarem os problemas de confiança e informação assimétrica. No meu trabalho eu estudei como as redes sociais são formadas como uma forma de incorporar a idéia de enraizamento social das relações econômicas, inicialmente desenvolvidos por sociólogos e antropólogos, e como o contexto social molda os custos de transações e permite a economia a funcionar, e como forma a profundidade e abrangência de mercados. Um pequeno passo deste trabalho, eu sou naturalmente interessado na importância da identidade (e discriminação) como uma explicação adicional para por que algumas pessoas continuam pobres.
Recursos naturais e o território são o outro lado dos meus interesses: mudanças de uso da terra e desmatamento, a gestão da água, a adoção de tecnologia são todos determinantes importantes da base de ativos que determina como pessoas participam na economia e na sociedade dos países em desenvolvimento. Eles também são importantes áreas de intervenção política, e aquela em que a habilidade de falar com os cientistas sociais não parece mais necessária.

Elsa de Morais Sarmento
Desenvolvimento Economico, Microeconomia Aplicada, Avaliação de Impacto

Elsa de Morais Sarmento é uma economista aplicada e avaliadora profissional com experiência em pesquisa aplicada, desenvolvimento internacional, monitoramento e avaliação de impacto. Ela é Diretora de Avaliação Principal do Independent Development Evaluation (IDEV) do Banco Africano de Desenvolvimento e professora da Universidade de Aveiro (Portugal). Anteriormente, ela trabalhou para organizações internacionais (Banco Mundial, Nações Unidas (UNDP, OMPI), a Comissão Europeia, a Organização dos Estados do Caribe Oriental, e com a OCDE e o FMI). Ela tem uma vasta experiência internacional, tendo trabalhado em mais de 50 países, 40 dos quais com experiência de campo direto.
Ela tem experiência com interações de alto nível e diálogos políticos, sendo nomeado para diversos cargos como diretora do Gabinete de Estudos do Ministério Português da Economia, e tendo atuado como conselheira de política na House of Commons (UK), por vários governos africanos e projetos de investigação internacionais. Ela lecionou por mais de uma década em diversas instituições acadêmicas, incluindo a Nova School of Business and Economics, e trabalhou como investigadora do CEP (LSE), no Parlamento Europeu, na Universidade Católica Portuguesa, entre outros.

Sandra Sequeira
Desenvolvimento Economico, Microeconomia Aplicada

Sandra Sequeira é Professora Assistente em Desenvolvimento Economico no Departamento de Desenvolvimento Internacional na London School of Economics. As suas principais áreas de investigação são em Desenvolvimento Economico e em Microeconomia Aplicada. Alguns dos tópicos actuais de investigação são: capacidade governativa, infra-estruturas e crescimento económico; comportamento pro-social de consumidores; e sobre as determinantes da inclusão financeira e adopção de tecnologia no desenvolvimento do sector privado. Sandra Sequeira completou uma Licenciatura em Economia na Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa, um Mestrado na Fletcher School e um doutoramento na Universidade de Harvard.

Dean Yang
Migração Internacional, Adaptação de Tecnologia, Microfinanças, Economia Comportamental, Desastres e Risco, Capital Humano, Comércio Internacional, Crime e Corrupção

Dean Yang é Professor da Universidade de Michigan, onde assume funcões no Departamento de Economia e na Escola Ford de Políticas Públicas. A sua investigação atual incide sobretudo nos serviços financeiros para os pobres, migração internacional, e áreas na intersecção desses temas. Outros temas antigos e atuais de interesse incluem a saúde, desastres, comércio internacional e política económica. Metodologicamente, muito do seu trabalho envolve estudos randomizados controlados em configurações de campo, mas outros trabalhos envolvem desenterrar fontes de dados novos e combiná-los com os conjuntos de dados secundários existentes para análises de questões de desenvolvimento. Atualmente encontra-se a desenvolver trabalho de investigação e experimentação de campo sobre trabalhadores migrantes filipinos e as suas famílias, e clientes de microcrédito rural no Malawi. Os locais onde tem desenvolvido os seus projetos de campo incluem El Salvador, Guatemala, Indonésia, Malawi, Moçambique, Filipinas, bem como as populações migrantes de filipinos na Itália, índios no Qatar e salvadorenhos e quenianos nos EUA. Dean Yang lecciona economia do desenvolvimento e microeconomia em licenciaturas, mestrados e doutoramentos. Nativo das Filipinas, licenciou-se e doutorou-se em Economia pela Universidade de Harvard.