novafrica@novasbe.pt

Incentivos para Agentes de Saúde Comunitária na Guiné-Bissau

Informação do Projeto

Principais Investigadores

Pedro Vicente (Nova SBE)
Teresa Molina (Nova SBE)

Coordenador de Campo

Mattia Fracchia

Instituições

ONG VIDA

Sobre o Projeto

O Sistema de Saúde da Guiné-Bissau enfrenta atualmente uma enorme escassez de profissionais e uma grave falta de acesso a serviços de saúde. Dada esta realidade, o Governo Guineense juntamente com os seus parceiros nacionais e internacionais definiram uma estratégia nacional que tem como principais objectivos reduzir a mortalidade materna, infantil e juvenil e aumentar o acesso a provisões básicas de saúde de toda a população. Neste contexto, a ONG VIDA em conjunto com o Ministério da Saúde da Guiné-Bissau desenvolveu um sistema de Agentes de Saúde Comunitária (ASC) no Sector Autónomo de Bissau.

Os programas de ASC estão a ser cada vez mais utilizados na África Subsaariana e ao longo dos últimos anos estes agentes tornaram-se assim uma parte essencial do plano estratégico de saúde a nível nacional e internacional. Juntamente com esta proliferação existe a preocupação de que a baixa motivação dos ASCs pode ameaçar os potenciais benefícios de investir em programas de ASC.

Este estudo pretende avaliar como um modelo de incentivos não financeiros oferecidos com um conjunto de benefícios monetários básicos poderá incentivar uma implementação sustentável e eficaz dos programas ASC em países em desenvolvimento. Em primeiro lugar, iremos analisar incentivos de motivação intrínseca dos agentes relacionados com as características pró-sociais do papel dos ASC e, em seguida, recompensas não-monetárias de motivação extrínseca dos agentes, como o reconhecimento social na comunidade. Em segundo lugar, queremos testar se as intervenções do lado da procura têm um impacto positivo sobre a eficácia e os resultados alcançados pelos agentes através da divulgação de informações sobre o mesmo nas comunidades-alvo. Finalmente, pretendemos ainda estudar as potenciais complementaridades entre os diferentes regimes de incentivos não financeiros, bem como entre as famílias beneficiadas e informadas e os esquemas de incentivos apropriados.